O atual presidente e ex-CEO, da Nestlé, a maior produtora de alimentos do mundo, acredita que a resposta às questões de água global é a privatização. Esta declaração vem da maravilhosa empresa que vendia junk food na Amazônia, e que investiu dinheiro para impedir a rotulagem de produtos cheios de OGM, e que tem um histórico de saúde e ética perturbador por sua fórmula infantil, e que também implantou um cyber exército para monitorar críticas de internet e moldar as discussões nos meios de comunicação sociais.

Esta é, aparentemente, a empresa na qual devemos confiar para controlar a nossa água, apesar de registro de grandes empresas de engarrafamento como Nestlé terem um histórico de criar escassez?
Grandes empresas multinacionais de bebidas geralmente recebem privilégios sobre a água (e até isenções fiscais) e sobre a sociedade porque criam postos de trabalho,mas os direitos da água para os governos locais é aparentemente mais importante do que outros cidadãos contribuintes.

Empresas como a Coca-Cola e Nestlé (que utiliza água de poços subterrâneos nos frascos) suga milhões de litros de água, deixando o público sofrer com tais faltas; Mas o presidente, Peter Brabeck-Letmathe, acredita que "o acesso à água não é um direito público nem um direito humano." Então, se a privatização é a resposta, é esta uma empresa em que o público deve colocar a sua confiança?

Neste vídeo legendado, Brabeck discute seus pontos de vista sobre a água, bem como alguns comentários interessantes sobre a sua visão da natureza — é "sem piedade" - e, claro, a declaração obrigatória que o alimento orgânico é ruim e o GM é bom. A conclusão para este segmento é talvez o mais revelador sobre a visão de um mundo com papel de Salvador, onde o Grupo Nestlé garante a saúde da população mundial.

Você está convencido? Peter Brabeck, presidente mundial da Nestlé, uma das maiores empresas de gêneros alimentícios mundiais, afirma, com a maior cara de pau, que a água é como qualquer outra commoditie agrícola, e deveria ser privatizada, explorada comercialmente e precificada, sendo que, uma visão contrária (a todas a pessoas normais no mundo), segundo ele, é "um direito extremo." Essa entrevista é parte do documentário "Nós alimentamos o mundo", de Erwin Wagenhofer.
Presidente da Nestlé: "Água Não É Um Direito Humano Básico."

 
 
Movimento Pela Água: https://twitter.com/movimentoplagua 
 
https://www.facebook.com/MovimentoPelaAgua/ 




7 Comentários
 
Topo