A postagem no Facebook de um policial militar com um cassetete quebrado e com a legenda "Foi mal, fessor", em referência a ação policial em protesto de docentes, é investigada pela PM. O agente, identificado pela corporação, tem 30 anos e pertence ao Batalhão de Choque. Em depoimento à Corregedoria da PM, o policial disse que não foi ele quem fez a postagem. A versão do soldado será checada e, caso seja falsa, ele pode até excluído da corporação.
O advogado Genison Souza, contratato pela família do policial, informou que o policial estava de serviço no dia da postagem e sem acesso aos compudadores. "Existem evidências de que naqueles horários ele estava fora do acesso aos computadores. Estava aquartelado", disse. O advogado acompanhou o depoimento na tarde desta sexta, no Batalhão de Choque. Um parente do PM informou que a foto postada é antiga.
Uma foto publicada por um policial militar do Rio em seu perfil do Facebook "Tiago Tiroteio" causou repúdio na internet. Na imagem, o PM aparece fardado mostrando um cassetete quebrado com a legenda "Foi mal, fessor", numa referência à atuação durante protesto de professores em greve.
O tenente-coronel Claudio Costa, relações-públicas da Polícia Militar, afirmou ter conhecimento da foto, disse que a página já foi retirada do ar e que a corporação está apurando o caso. De acordo com a PM, a investigação está sendo acompanhada pela 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM). Segundo internautas, ele teria postado a fotografia no dia da última manifestação dos professores da rede municipal de ensino no Rio, que aconteceu na terça-feira (1º), quando a Câmara aprovou em reunião extraordinária o projeto de lei do Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações (PCCR).
Atualizado:
Comente abaixo sua opinião sobre o assunto!
15 Comentários
 
Topo