O manifestante preso por suspeita de entregar a um manifestante o rojão que matou o cinegrafista da Band Santiago Andrade reconheceu, no Complexo de Giricinó, a foto de suspeito responsável pelo disparo. O delegado da 17ª DP (São Cristóvão), Maurício Luciano, pedirá a prisão do suspeito após o reconhecimento. As informações foram confirmadas pela assessoria de imprensa da Polícia Civil do Rio de Janeiro.

O delegado esteve em deligência em Bangu, na zona oeste do Rio, onde Fábio Raposo está preso. A identidade do suspeito de deflagrar o artefato explosivo que atingiu a cabeça de Santiago — até as 19h, ela não havia sido revelada pela polícia — foi entregue ao delegado pelo advogado Jonas Tadeu nesta segunda. O defensor repassou a identidade e o CPF do suspeito.

— Em um determinado momento em que eu fiquei sozinho com o Fábio, ele pediu que eu procurasse uma determinada pessoa e que essa pessoa ia me passar a identificação do rapaz. O advogado passou toda a manhã de domingo (9) tentando convencer Fábio Raposo a aceitar a delação premiada. À tarde, em novo depoimento, o jovem disse à polícia que, apesar de não conhecê-lo, seria capaz de reconhecer o responsável por disparar o rojão.

Logo no primeiro depoimento, Fábio Raposo disse não conhecer o outro suspeito. Ele disse que viu que o rojão caiu do bolso de um rapaz, pegou o artefato no chão e devolveu. Embora tenha negado a autoria, ele foi indiciado por tentativa de homicídio e pelo crime de explosão. O jovem foi preso na manhã de domingo, na casa dos pais, no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio de Janeiro.

Leia nota oficial da Band:

Nota oficial sobre a morte de Santiago Andrade Band lamenta a perda de um companheiro e exige condenação de assassino 
A tragédia que envolve a morte do cinegrafista Santiago Andrade – e que nos deixa arrasados diante da perda de um companheiro querido – é mais uma evidência de que a desordem está imperando nas ruas de nossas cidades. O desvairado que soltou a bomba assassina é um exemplar conhecido de baderneiro, como tantos que vêm espalhando o terror, infiltrados entre manifestantes. A força de reação que encontram não tem sido suficiente para intimidá-los. Pelo contrário, estão cada vez mais ousados e seguros nas suas ações violentas. A Band vai acompanhar e exigir, passo a passo, as investigações, o processo e a condenação desse assassino e de seu grupo. E, ao fazer isso, estará solidária não só com a família de Santiago Andrade. Mas com toda a família brasileira, que já não suporta viver cercada de tantas e variadas ameaças, sentindo-se numa terra de ninguém.

Leia carta deixada pela filha dele:

"Meu nome é Vanessa Andrade, tenho 29 anos e acabo de perder meu pai. Quando decidi ser jornalista, aos 16, ele quase caiu duro. Disse que era profissão ingrata, salário baixo e muita ralação. Mas eu expliquei: vou usar seu sobrenome. Ele riu e disse: então pode! Quando fiz minha primeira tatuagem, aos 15, achei que ele ia surtar. Mas ele olhou e disse: caramba, filha. 

Quero fazer também. E me deu de presente meu nome no antebraço. Quando casei, ele ficou tão bêbado, que na hora de eu me despedir pra seguir em lua de mel, ele vomitava e me abraçava ao mesmo tempo. Me ensinou muitos valores. 

A gente que vem de família humilde precisa provar duas vezes a que veio. Me deixou a vida toda em escola pública porque preferiu trabalhar mais para me pagar a faculdade. Ali o sonho dele se realizava. E o meu começava. Esta noite eu passei no hospital me despedindo. Só eu e ele. Deitada em seu ombro, tivemos tempo de conversar sobre muitos assuntos, pedi perdão pelas minhas falhas e prometi seguir de cabeça erguida e cuidar da minha mãe e meus avós. Ele estava quentinho e sereno. Éramos só nós dois, pai e filha, na despedida mais linda que eu poderia ter. 

E ele também se despediu. Sei que ele está bem. Claro que está. E eu sou a continuação da vida dele. Um dia meus futuros filhos saberão quem foi Santiago Andrade, o avô deles. Mas eu, somente eu, saberei o orgulho de ter o nome dele na minha identidade. Obrigada, meu Deus. Porque tive a chance de amar e ser amada. Tive todas as alegrias e tristezas de pai e filha. Eu tive um pai. E ele teve uma filha. 

Obrigada a todos. Ele também agradece. Eu sou Vanessa Andrade, tenho 29 anos e os anjinhos do céu acabam de ganhar um pai."
Comente abaixo sua opinião sobre o assunto!

Fonte: R7 e BAND





0 Comentários
 
Topo