Polícia civil abriu sindicância para apurar conduta de inspetor O caso do inspetor da Polícia Civil Luiz do Amaral, que foi flagrado dando tiros para o alto durante uma manifestação contra a Copa do Mundo nos arredores no Maracanã, zona norte do Rio, ganhou destaque na imprensa internacional. Durante o jogo entre Argentina e Bósnia, no domingo (15), cerca de 300 manifestantes realizaram um ato próximo ao estádio.

Policiais militares lançaram bombas de gás para dispersar os manifestantes. A notícia apareceu no site da Fox News, que diz que o agente disparou dois tiros no ar durante um protesto “pequeno, mas violento e caótico”. O portal Mashable também destacou a notícia. Uma testemunha disse ao portal que na ocasião, havia apenas 50 manifestantes, porque a maioria já havia se dispersado após a polícia jogar bombas de gás lacrimogêneo. A reportagem também fala que o protesto foi violento e que manifestantes teriam jogado bombas caseiras contra os policiais.



Em vídeo do Jornal A Nova Democracia, ele empunha uma arma e se diz policial. Após discutir com manifestantes, ele entra em um carro e dispara para o alto com o que parece ser uma arma de fogo. A Corregedoria Interna da Polícia Civil do Rio de Janeiro abriu uma sindicância para apurar a conduta do inspetor. As portas de vidro de ao menos duas agências bancárias foram destruídas no bairro de Vila Isabel, zona norte do Rio, vizinho à Tijuca e à região do Maracanã.

No grupo, havia manifestantes vestindo preto e muitas faixas e bandeiras contra a entidade que controla o futebol no mundo e a realização do Mundial no Brasil. O ato era acompanhado de perto por policiais militares com equipamentos de proteção individual, traje que ganhou nas ruas o apelido de Robocops. Em razão da manifestação, o trânsito ficou complicado no entorno da Praça Saens Peña.

Assista ao vídeo Civil saca arma de fogo e atira durante Argentina X Bósnia (Maracanã, RJ)


Comente abaixo sua opinião sobre o assunto!

Com informações do R7

1 Comentários
 
Topo