Chelsea Elizabeth Manning , nascida sob o sexo masculino e de nome Bradley Edward Manning (Crescent, 17 de dezembro de 1987), é uma militar transsexual do Exército dos Estados Unidos que foi presa e processada por acesso e divulgação de informações sigilosas que resultaram no escândalo conhecido como "Cablegate" , referindo-se aos telegramas diplomáticos americanos que começaram a ser publicados em novembro de 2010 por Wikileaks e cinco grandes jornais. Sua detenção foi realizada em maio de 2010, enquanto servia às tropas norte-americanas no Iraque.

Carreira e vazamento dos telegramas diplomáticos

Manning era analista de inteligência do Exército americano e trabalhou no Iraque e no Afeganistão. Agentes do Comando de Investigação Criminal do Exército prenderam-na com base em informações recebidas de autoridades federais, prestadas por Adrian Lamo , um ex-hacker , que, conforme revelado por Andy Greenberg da Forbes, trabalhava como "especialista em segurança" com o Projeto Vigilante, uma instituição de segurança privada que trabalha com o FBI e a NSA.

Numa conversa com Lamo, Manning contou-lhe que havia sido responsável pelo vazamento de um vídeo do ataque de um helicóptero a civis em 12 de julho de 2007 em Bagdá. Posteriormente, Lamo entregou Manning às autoridades.

O grupo Hackers no Planeta Terra criticou publicamente Lamo por haver traído Manning. Chelsea Manning, semanas depois, foi também acusada de vazar mais de 150 mil documentos ao site WikiLeaks. A acusação inicialmente não foi provada mas com a colaboração de Adrian Lamo provas foram introduzidas contra Manning.

Aprisionamento e condenação

As condições de detenção de Manning na base militar de Quantico (no estado de Virgínia) foram consideradas desumanas e ilegais, e vistas como tortura pela Anistia Internacional. Relatório publicado pelo Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, emitido após investigar as condiçōes de detençāo de Manning, reafirmou que as condições de detenção eram desumanas e ilegais. . Manning foi submetida à privação de sono, nudez forçada e diversas formas de tortura psicológica. Apesar de ter sido acusada, não lhe foi permitido falar com um juiz e, em vez disso, ficou presa, contra qualquer possibilidade de impetração do seu direito de habeas corpus.

No dia 21 de agosto de 2013, Chelsea Manning (ainda sob o nome de nascimento "Bradley") foi condenada a 35 anos de prisão por ter vazado em torno de 700.000 documentos secretos ao site WikiLeaks. Um dia após a condenação, revelou ao mundo que quer ser considerado mulher e passar por tratamento hormonal, e pediu para ser reconhecido dali em diante pelo gênero feminino. Um dos aspectos da defesa de Manning foi justamente o seu transtorno de identidade de gênero, seus advogados tentaram provar evidências da luta contra o transtorno.

Julgamento Secreto em Fort George G. Meade

O julgamento de Manning aconteceu em Fort George G. Meade , Maryland, que abriga também a NSA e Escola de Informações do Departamento de Defesa americano. Estes fatos fizeram com que houvesse falta de acesso do público aos documentos judiciais e decisões até 18 meses depois do fim do processo legal. Em 27 de dezembro de 2013, no 30 Congresso de Comunicação Chaos (30c3) em Hamburgo, Alemanha, a jornalista americana Alexa O'Brien descreveu as condições do julgamento e vários outros fatos sobre o encarceramento e condenação de Manning.

Em 29 de dezembro de 2013, 30° Congresso de Comunicação Chaos28 , Sarah Harrison, jornalista britânica, pesquisadora legal, e editora de WikiLeaksabordou o caso de Chelsea E. Manning onde ela explicou a situação à que Manning foi submetida. Sarah foi ovacionada no 30° Congresso de Comunicação Chaos por sua participação ativa em tentar proteger os direitos básicos de Manning. Foi Sarah Harrison quem, em 23 de junho de 2013, acompanhou Edward Snowden no vôo de Hong Kong para Moscou, enquanto Edward Snowden estava sendo perseguido pelo governo dos Estados Unidos.

Comente abaixo sua opinião sobre esta operação Anonymous!

Fonte: Wikipedia



0 Comentários
 
Topo