O valor exorbitante foi registrado em Itaporanga, localizada a 420 km de João Pessoa. O rápido e agressivo aumento do preço da gasolina está impressionando negativamente clientes de postos de combustíveis em todo o Brasil. No Estado da Paraíba, diversos internautas relataram que o litro do combustível chegou a custar nada menos que R$10. Porém, segundo o Portal Correio, o valor superfaturado não está sendo repassado pelos postos, mas sim por moradores que aproveitam a escassez na região para revender a gasolina por um preço superior.

O problema chegou ao Ministério Público da Paraíba, que se reuniu com órgãos de defesa do consumidor e com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo da Paraíba (Sindipetro-PB) na manhã desta terça-feira (5), visando discutir a falta de combustível no estado.

O valor exorbitante foi registrado em Itaporanga, localizada a 420 km de João Pessoa. Em entrevista ao Portal Correio, o dono de um dos postos da região, o empresário Marcus Antônio Bernardino, alegou que o preço local é, em média, de R$ 3,90, mas que desde o último domingo (4) não há gasolina disponível. “Recebemos 10 mil litros no domingo e em menos de dez horas já tínhamos vendido tudo. Vou enviar caminhões para Suape e Guamaré, no Rio Grande do Norte, para ver se consigo trazer combustível", disse ele.

O problema não está afetando apenas municípios do interior. A falta de combustível é percebida também em João Pessoa, capital do estado da Paraíba. No Facebook, diversos internautas relataram que vários postos da cidade estão com as bombas vazias.

O problema, segundo os órgãos responsáveis, foi o atraso do navio responsável por trazer o produto até o Porto de Cabedelo, único no estado. Com isso, a distribuição foi prejudicada e o preço subiu. Porém, Gilmara Timóteo, vice-presidente da Companhia Docas da Paraíba — empresa responsável pela administração do porto — alegou que não há falta de combustível nos 26 tanques instalados no porto e que o problema está "na distribuição dos tanques para os postos de combustíveis”.

 Ainda segundo ela, um navio atracou em Cabedelo, cidade vizinha a João Pessoa, no último dia 29 de dezembro, trazendo dez mil toneladas de gasolina e quatro mil toneladas de óleo diesel.

Fonte: Administradores





































0 Comentários
 
Topo